E-RESENHAS

17 maio 2006

O Conceito Teológico-Pedagógico de Comenius


RESENHA
Rev. Ashbell Simonton Rédua*
LOPES, Edson Pereira. O Conceito Teológico-Pedagógico de Comenius. In, O Conceito de teologia e pedagogia na Didática Magna de Comenius. Série Descoberta, I. São Paulo: Mackenzie, 2003.

Nesta pesquisa, buscou-se avaliar o quanto a concepção teológica-pedagógica do Pai da Pedagogia Moderna, João Amós Comenius, embasou sua principal obra, a Didática Magna. Comenius preocupou-se, ao escrever essa obra, em partir de sua concepção teológica de homem, ou seja, o homem como imagem e semelhança de Deus.
Em síntese, para Comenius, três eram os princípios que norteavam a formação do indivíduo, voltado para a sua função de glorificador de Deus: a Instrução; a Moral e a Piedade. Desses princípios, a piedade deve ser exaltada, pois é por meio dela que o homem será conduzido ao Criador.
Comenius diz também que a educação deve ser aplicada a todos. Nas escolas, devem-se admitir não só os filhos dos ricos e dos próceres, mas todos, por igual, nobres e plebeus, ricos e pobres, meninos e meninas, os quais devem ser educados conjuntamente no mesmo estabelecimento. Com isso, Comenius se adiantou no seu tempo e antecipou a idéia da escola democrática unificada.
Comenius é o primeiro educador, no mundo ocidental, a interessar-se na relação ensino/aprendizagem, levando em conta haver diferença entre o ensinar e o aprender.
Objetivando a aproximação do homem a Deus, o objetivo central da educação para Comenius era tornar os homens bons cristãos - sábios no pensamento, dotados de verdadeira fé, capazes de praticar ações virtuosas estendendo-se a todos: ricos, pobres, mulheres, portadores de deficiências. Para ele, a didática é, ao mesmo tempo, processo e tratado: é tanto o ato de ensinar quanto a arte de ensinar.
Salientava a importância da educação formal de crianças pequenas e preconizou a criação de escolas maternais, pois assim as crianças teriam, desde muito cedo, a oportunidade de adquirir as noções elementares do que deveriam aprender mais tarde, com profundidade. Defendia a tese de que a educação deve começar pelos sentidos, pois as experiências sensoriais obtidas através dos objetos seriam internalizadas e, mais tarde, interpretadas pela razão. Compreensão, retenção e práticas consistiam a base de seu método didático e, por meio desses elementos, chegar-se-ia às três qualidades: erudição, virtude e religião, correspondendo às três faculdades que é preciso ter: intelecto, vontade e memória.
O alvo da escola é a formação de homens críticos e ativos na sociedade, homens que saibam conciliar sabedoria e conhecimento em suas ações. Compreendemos que só podemos atingir este ideal a partir de Deus, pois dEle provém toda boa dádiva, toda a perfeita sabedoria. Compreendendo que somente em Seu Filho encontramos todos os mistérios e toda a ciência, pois foi Ele quem tudo sabiamente criou.
*Rev. Ashbell Simonton Rédua é pastor da Igreja Presbiteriana do Sinai, Membro da Comissão Nacional de Evangelização da IPB

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]



<$I18N$LinksToThisPost>:

Criar um link

<< Página inicial