E-RESENHAS

21 outubro 2006

Eu Creio no Pai, no Filho e no Espírito Santo


RESENHA
Ashbell Simonton Rédua*


COSTA, Hermisten Maia Pereira da. Eu Creio no Pai, no Filho e no Espírito Santo. São Paulo: Parákletos, 2002, 479 p.

Um credo é uma elaboração científica daquilo que cremos com base na Escritura Sagrada. definição de uma confissão não difere basicamente da de um credo, senão na forma.
Uma confissão contém mais ou menos os mesmos elementos de um credo, mas de forma bem mais elaborada, com detalhes que um credo não possui, por ser mais conciso. Uma confissão aborda mais assuntos do que um credo, e os apresenta de forma mais sistemática.
Um credo sempre começa como credo ou credemus ("eu creio" ou "nós cremos"), enquanto que as confissões geralmente não possuem essa característica.
Um credo ou confissão, pelo menos dentro da teologia reformada, não é um sistema de doutrina absolutamente fechado que não possa ser alterado com o desenvolvimento sério dos estudos sobre uma determinada matéria.
O que cremos hoje tem que refletir a fé dos nossos antepassados. Devemos diferir deles naquilo em que eles não foram absolutamente justos com o ensino geral das Santas Escrituras, mas onde estiveram certos, devemos seguir com eles.
É essencial que os crentes entendam a necessidade de confessar a sua fé (Mt 10:32; Rm 10:9). Confessamos a nossa fé no batismo, na Ceia do Senhor, ao testificar aos incrédulos, ao dar bom testemunho na vida pública e privada, e ao recitar o Credo no culto de adoração.
Toda confissão pública da fé deve ser feita com sinceridade, e deve vir acompanhada de uma vida de compromisso com os valores do reino de Deus.
A partir do credo/confissão o autor formulou uma posição conclusiva do dogma da Trindade.
O autor entra na discussão de forma detalhada quanto a cada pessoa da Trindade, confessa a fé em um Deus Trino. O texto está claramente dividido em três partes: O Pai e a nossa criação, o Filho e a nossa redenção, o Espírito Santo é a nossa santificação. Deve ser notado que a parte referida do autor ao Filho é a mais detalhada. A primeira vista, pareceria que a seção que fala do Espírito Santo foi a menos informativa, mas a verdade é que a Igreja é vista em íntima relação com a obra do Pai, do Filho e do Espírito Santo.
Entendo que se o livro fosse também transformado em Lições para discipulado ou Escola Bíblica Dominical poderia alcançar um número maior de leitores, isto porque a leitura é simples, de fácil compreensão e uma agradável assimilação.
* Ashbell Simonton Rédua, é pastor da Igreja Presbiteriana do Sinai, em Niteroi.

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]



<$I18N$LinksToThisPost>:

Criar um link

<< Página inicial